Gaienses recetivos ao Paraíso Solidário

A poucos dias de celebrar apenas dois meses de atividade, o Paraíso Solidário continua a mostrar que continua no bom caminho.

Desta vez, em apenas dois dias, e no âmbito deste projeto, os responsáveis conseguiram angariar perto de três toneladas de alimentos, numa recolha nos supermercados do Pingo Doce de Grijó e S. Félix da Marinha.

Mesmo numa época de crise, os gaienses mostraram-se solidários e apoiantes deste trabalho desenvolvido. Agora, os alimentos servirão para aconchegar alguns lares vilarenses que atravessam algumas dificuldades financeiras, como aliás tem vindo sendo feito mensalmente pela junta.

O presidente da autarquia esteve sempre no local, acompanhando a equipa e sensibilizando os que iam entrando no supermercado. E foram precisas poucas explicações para sensibilizar os clientes. Conhecendo ou não o projeto, quase de imediato acediam ao pedido e contribuíram com um saco de bens alimentares.

Satisfeito, mas a cima de tudo emocionado, Elísio Pinto acredita que esta “é uma lição de vida”. E assegura que se “todos os autarcas passassem por uma experiência destas, antes de assumirem funções, toda a realidade e a visão social assumiriam outras proporções”.

A iniciativa foi liderada pela junta de freguesia local e pelo Centro Social de S. Pedro de Vilar do Paraíso. Mais de 50 carrinhos de compras albergaram, entre outros alimentos, 400kg de massa, 80 litros de óleo, 600 litros de leite e uma tonelada de arroz.

Anúncios

“O PS Gaia não tem uma voz política firme”

Chegou, apostou e quer vencer. Chama-se Rui Saraiva e é o candidato que se opõe a Eduardo Vítor Rodrigues à liderança do PS Gaia. Aos 37 anos, o gestor de empresas quer agora encetar carreira política deste lado do rio. Já esteve na autarquia portuense como vereador, mas após adotar Gaia para viver há mais de 10 anos, sente-se agora tentado a dar o seu contributo para um PS concelhio mais aberto, mais plural, mais ativo. Em campanha desde o final de 2011, Rui Saraiva tem encontrado recetividade junto das seções que visitou. E algumas criticas à atual liderança, que apelida de ‘fechada em si mesmo’. A 2 de Junho, os militantes socialistas vão ser chamados a votos. De um lado a continuidade e a certeza do candidato às Autárquicas. Do outro, a rutura e a certeza de que Rui Saraiva não será o candidato em 2013 à câmara. Caberá aos militantes exercer o direito ao voto e escolher a candidatura com que mais se identificam. A certeza é uma só, seja ‘Juntos por Gaia’ ou ‘Dedicado a Gaia’, o futuro para a família socialista ainda está incerto……. ler toda a entrevista

“Trabalhar para divulgar a dança”

Academia Pedro Sousa é um bom exemplo de como se deve lutar pelo concretizar de um sonho ou ideal de vida, onde as poucas oportunidades não podem ser desculpa para a falta de êxito profissional. Com quase 17 anos de vida, além do ensino da dança, esta empresa tem ainda como alicerce funcional o calçado PortDance e a organização do evento anual PortDanceOpen

Numa altura em que o desemprego cresce diariamente e que os jovens parecem não ter alternativas para entrar no mercado de trabalho, importa colher do tecido empresarial gaiense alguns exemplos de sucesso, que nasceram de um sonho e da persistência na luta por seguir uma filosofia de vida. Quando as oportunidades não aparecem numa sociedade cada vez menos voltada para a produtividade, o empreendedorismo surge-nos como a melhor solução para enfrentar o melhor futuro profissional. Assim aconteceu, em 1995, com a abertura da Academia Pedro Sousa. E é precisamente esta a atividade que o Notícias de Gaia lhe apresenta nesta edição.

Por curioso que pareça, a Academia Pedro Sousa surge com o objetivo do ensino do Karaté, vertente Shotokai, desporto que Pedro Sousa praticava desde 1986. O nosso interlocutor tinha então apenas 21 anos e ainda um curso de Gestão de Empresas na Universidade Portucalense por concluir, o que aconteceu no ano seguinte. Todavia, volvidos apenas sete meses do arranque da atividade, as Danças de Salão passam a ser prioridade, mercê da constatação do grande potencial empresarial que podia ter e derivado do facto de também Pedro Sousa ter frequentado aulas desta especialidade.

Assim, passados quase 17 anos, o que outrora seria um sonho é hoje uma realidade. A Academia Pedro Sousa respira saúde, tem nova sede própria desde 2007, em Gulpilhares, depois de ter começado por usar o salão da coletividade do Rancho Regional desta freguesia e de ter ministrado cursos de dança em mais de 20 concelhos do norte do país. Cinco são as pessoas que aqui trabalham de forma efetiva e tem cerca de dez professores para um universo aproximado de 600 alunos, entre eles crianças com apenas três anos.

“O nosso trabalho aqui na Academia passa pela divulgação da dança em geral. Fomos dos primeiros no norte do país a trabalhar a dança em termos comerciais e a dar visibilidade à dança em termos de marketing”, lembra Pedro Sousa, registando que esta atividade não pode ser encarada apenas como um escape para as pessoas se esquecerem da crise: “A dança é uma atividade que existe para além da crise; é para as pessoas que gostam ou querem aprender a dançar”. Mais: “É lógico que tudo o que nos faz sentir bem funciona como escape. Aqui as pessoas sentem-se bem e não pensam nos problemas do dia a dia, como noutra qualquer atividade em que as pessoas sintam prazer. Aqui queimam-se calorias e libertam-se toxinas, que nos permitem encarar o próximo dia com toda a energia. Mas isto acontece com ou sem crise. O que importa é o gosto pela dança”.

E será que os recentes programas televisivos de dança ajudaram a quebrar preconceitos? Pedro Sousa responde de forma lacónica: “Nunca sentimos preconceitos. Estamos nesta área há 17 anos e esses programas apareceram há quatro ou cinco anos. Por termos já alguma dimensão, as pessoas começaram a falar mais em dança, mas não foi por isso que passamos a ter mais praticantes. Agora, é claro que ajudou a abrir mentes e deu maior visibilidade à dança”.

Natural de Mafamude, onde nasceu há 37 anos, Pedro Sousa reside em Francelos e, como gaiense que se preze, não deixa de tecer rasgados elogios ao concelho que o viu nascer, até porque é aqui que também desenvolve a própria atividade profissional. “Gaia é um concelho com muito potencial. Aqui vivem cada vez mais pessoas e há um nível médio de vida, onde se permite que existam atividades extras. É um concelho bem posicionado e desde que o atual presidente da câmara assumiu funções tem sempre crescido”, sublinha.

E termina: “O que digo às pessoas que ainda não conhecem a Academia é que apareçam aqui, pois as portas estão abertas. Se gostam de dançar ou querem aprender, seja que tipo de estilo for, à exceção do ballet, que venham experimentar uma aula”. Tudo porque, além dos cursos para noivos, na Academia Pedro Sousa não faltam estilos de dança para serem praticados. Entre eles, lembramos o Cha Cha Cha, Merengue, Slow Fox, Jive, Rumba Cubana, Valsa Inglesa, Samba, Tango, Dança de Salão, Quickstep, Salsa, Paso Doble, Valsa Vienense, Dance Kids, MobDance, Zumba, Dança Contemporânea e Hip Hop.

PortDance e PortDanceOpen

A par do ensino e prática da dança nos mais variados estilos, esta empresa tem ainda mais dois projetos alicerçados. Porque a ideia é sempre fazer mais e mostrar o tal empreendedorismo de que se falava no início desta reportagem, o nosso timoneiro explica a criação da coleção de calçado Portdance, em 2000, e do evento anual PortDanceOpen, desde 2009.

“Nos primeiros anos da Academia, sentimos que as pessoas procuravam calçado específico para a dança. Começamos a representar marcas para dar resposta às solicitações. Em 2000, criamos a nossa própria marca, a PortDance, com produção totalmente nacional. Hoje exportamos 75% dos produtos para uma média de 20 países. Ou seja, esta atividade tem uma boa dimensão dentro da empresa. Já a PortDanceOpen surgiu através de um convite feito pela Federação Portuguesa de Dança Desportiva para realizarmos um evento do género. Em 2009 decorreu o primeiro, apenas com moldes nacionais. Aproveitando a internacionalização da PortDance, os restantes tiveram nível internacional”, divulga Pedro Sousa.

Resta dizer que, este ano, a quarta edição do PortDanceOpen vai ter lugar, nos dias 14 e 15 de julho, no Pavilhão Multiusos de Gondomar.

Homem morre colhido por comboio

Um homem morreu, esta segunda-feira, atropelado por um comboio no apeadeiro de Francelos. Segundo testemunhas que assistiram ao incidente, tudo aconteceu por volta das 11h00, quando esta pessoa aguardou a passagem da última carruagem de um comboio que circulava no sentido Porto-Aveiro e não reparou que outra no sentido contrário passava a alta velocidade.
O homem, de 30 anos, residia perto do local da freguesia de Gulpilhares e não respeitou o sinais visuais e sonoros da passagem de nível, pois pensava que os mesmos refletiam a passagem de apenas uma composição.
No local estiveram duas ambulâncias e quatro dos Bombeiros Voluntários de Valadares, uma ambulância dos Sapadores de Gaia e uma viatura do Instituto Nacional de Emergência Médica.
De registar que a normal circulação dos comboios no local só foi retomada às 11h45.

2500 participantes na maior aula solidária de Tai Chi

Dia 22 de abril, entre as 10h00 e as 13h00, no Pavilhão Rosa Mota, no Porto. Iniciativa angaria fundos para a Liga dos Amigos do Serviço de Transplantação de Medula Óssea (LASTMO)

Juntar 2500 participantes e promover a maior aula solidária de Tai Chi alguma vez realizada em Portugal é o objetivo da primeira Manhã Saudável, no dia 22 de abril. O Pavilhão Rosa Mota é o local escolhido para a realização desta iniciativa, cujo valor das inscrições (dois euros por pessoa) reverte na totalidade para a recém-criada Liga dos Amigos do Serviço de Transplantação de Medula Óssea (LASTMO) do IPO-Porto. A par da aula de Tai Chi, os participantes vão poder ainda realizar, gratuitamente, rastreios à obesidade, rastreios visuais e óticos. As inscrições vão estar abertas até 20 de abril, através do e-mail manhasaudavel@gmail.com.

A primeira “Manhã Saudável” quer incutir na população a necessidade de adotar hábitos de vida saudável através de uma alimentação equilibrada e da prática regular de exercício físico. Em paralelo, a aposta nesta iniciativa tem como intuito angariar fundos para a Liga dos Amigos do Serviço de Transplantação de Medula Óssea.

As inscrições para a “Manhã Saudável” podem ser feitas até ao dia 20 de abril através do e-mail manhasaudavel@gmail.com (referindo o nome, número de BI ou Cartão de Cidadão e idade de cada participante) ou do telefone 926270938. O registo pode ainda ser efetuado no Holmes Place da Boavista e nas piscinas municipais geridas pela Porto Lazer, ou seja, Constituição, Eng.º Armando Pimentel, Cartes e Campanhã. A inscrição tem um custo de dois euros, que revertem, na totalidade, para a LASTMO. O pagamento será efetuado no ato de levantamento do kit de participação, no dia 22 de abril.

A LASTMO é uma associação vocacionada para o apoio a doentes submetidos a transplante de medula óssea e seus familiares, que evidenciem carências de ordem social, material e afetiva e cujo acompanhamento, dentro e fora do Serviço de Transplantação de Medula Óssea do IPO-Porto (STMO), exija maior atenção e mais cuidado.

Resultado de um contínuo processo de melhoria na prestação de cuidados de saúde, o STMO do IPO-Porto está certificado pela Autoridade para os Serviços de Sangue e de Transplantação, tendo, em 2011, realizado mais de 150 transplantes. Atualmente, o serviço recebe, por mês, 18 propostas para transplante, com uma taxa de sucesso que ronda os 90 por cento.

Centro Escolar do Parque da Cidade concluído em julho

Presidente da Câmara deixa claro de que, ao contrário do da Serra do Pilar, este equipamento abre no dia em que ficar pronto. Autarquia reabilita Rua Raimundo de Carvalho, em Oliveira do Douro, de forma a garantir a melhor a segurança na envolvente a este novo espaço educativo
O Centro Escolar do Parque da Cidade abre portas em julho. As obras estão a andar a um ritmo normal e este equipamento educativo, inserido nos três projetados para o concelho, fica apto para receber 525 alunos do ensino pré-escolar e primário já no próximo ano letivo.
“Em Gaia fazemos coexistir grandes escolas, economicamente mais viáveis e com melhores condições, com escolas pequenas. Os três grandes centros escolares em construção vão permitir que 1500 alunos tenham acesso a escolas públicas diferentes e que se regem por outras filosofias, com equipamentos desportivos e culturais, salas especiais para trabalho pedagógico”, referiu o presidente da câmara, durante a visita feita ao local, no passado dia 5.
Este centro escolar, orçado em 4,9 milhões de euros, terá três pisos, 22 salas de aula, um pavilhão polidesportivo coberto, um auditório, dois refeitórios e uma sala polivalente. Espaços que Menezes quis ver na primeira pessoa e onde aproveitou para deixar o recado, na presença dos membros do executivo camarário, de que, ao contrário do que aconteceu no pólo da Serra do Pilar, “não há protestos nem cartas que façam com que esta escola não abra no dia em que ficar pronta; é inegociável”.
Nota para o facto de poderem ser aproveitadas sinergias entre este equipamento e o espaço envolvente. Isto porque fica paredes-meias com o Parque da Cidade e bem junto do futuro Centro de Alto Rendimento.
Rua Raimundo de Carvalho reabilitada
Para que tudo esteja conforme a segurança necessária, além de garantida a segurança do equipamento foi necessário projetar alterações na Rua Raimundo de Carvalho, porta de entrada na freguesia de Oliveira do Douro.
Assim, a autarquia fará uma intervenção nesta via no valor de 800 mil euros, precisamente no troço entre entre a Rotunda de Bartolomeu Dias e o Largo da Lavandeira. Perante o elevado fluxo de trânsito, este local será reabilitado, mantém os dois sentidos, terá passeios, o dobro do estacionamento e ainda uma pequena esplanada relvada.
A fim das obras está previsto igualmente para julho, precisamente na altura em que o Centro Escolar do Parque da Cidade fica concluído.

Câmara de Gaia quer comprar produtos excedentes

Autarquia negoceia com cooperativas agrícolas locais a aquisição de produtos a preços reduzidos, de forma a servir como complemento nas refeições escolares e a criar um cabaz social para as famílias carenciadas do concelho

A câmara de Gaia está a negociar com as cooperativas agrícolas locais a aquisição de produtos excedentes. A ideia da autarquia é fazer com que estes mesmos produtos possam ser comprados a preços reduzidos e distribuídos para o cada vez maior número de famílias carenciadas gaienses.
“Estamos a negociar diretamente com algumas cooperativas de agricultores da região para podermos adquirir-lhes, a preços muito reduzidos, determinado tipo de excedentes da produção”, referiu, no passado dia 5, Luís Filipe Menezes. Tudo isto pode depois “ser tratado pela empresa que nos fornece as refeições escolares, de forma a complementá-las e ainda a poder formar um cabaz social para determinado tipo de famílias”, completou o autarca.
Ainda segundo o presidente da câmara, este processo requer apoio da rede de assistentes sociais e, eventualmente, da DREN, aparecendo no seguimento do facto de algumas escolas já estarem a receber, a título experimental, complementos de alimentação, como por exemplo, entre outros, fruta.
A terminar Menezes sublinhou que o caminho de alargamento da rede social não “vai ser anárquico”, mas antes “preservado de acordo com a definição das freguesias mais carenciadas, com manchas de desemprego maior e com problemas sociais mais graves”, procurando-se “identificar quais são as famílias e as zonas do concelho que têm mais dificuldades”.
Trata-se pois de mais uma medida levada a cabo pela edilidade para dar resposta ao crescente número de famílias com dificuldades financeiras no município, derivado do aumento dos casos de desemprego e falta de meios para ultrapassar a crise económica que afeta o país, em geral, e Gaia, em particular.

Assalto a carrinha de valores em Avintes

Ao início da tarde, quatro indivíduos encapuzados e armados com arma de fogo e gás pimenta assaltaram uma carrinha de valores, em Avintes. Os homens roubaram um saco de dinheiro da carrinha que estava estacionada nas traseiras do hipermercado Modelo.

“Os indivíduos estavam armados, utilizaram gás pimenta e puseram-se em fuga, em viatura própria, para parte incerta”, confirmou à Lusa fonte das relações públicas da GNR, referindo que a hora de alerta do roubo foi registada pelas 14.30 horas.

“A GNR está no encalce dos quatro indivíduos e a fazer diligências para identificar a viatura”, acrescentou a mesma fonte policial.

IBIS BUDGET abre primeira unidade hoteleira em Gaia

Grupo Accor reforça aposta no segmento super económico com nova marca

O primeiro hotel em Portugal da IBIS BUDGET, marca criada recentemente pelo Grupo Accor, acaba de abrir em Vila Nova de Gaia, paredes meias com a cidade do Porto. Esta nova unidade hoteleira, a 29.ª que o grupo abre em Portugal, apresenta um conceito super económico inovador, estando a direcção a cargo de Carla Santos.

O ibis budget Porto Gaia dispõe de 95 quartos, óptimos acessos ao centro histórico do Porto, e reflecte a aposta do Grupo Accor no segmento da hotelaria super económica, com um tipo de oferta moderna e inovadora que pretende ser altamente concorrencial. O preço de alojamento por noite de um quarto para uma ou duas pessoas é de apenas 32 euros, com um suplemento de 5 euros para uma terceira pessoa.

Tendo como target principal os clientes individuais em deslocações de negócio ou lazer, o hotel oferece acolhimento 24h/24h e acesso internet gratuito a partir do lobby. O pequeno-almoço tem uma tarifa de 3,20 euros por pessoa e a ligação wi-fi disponível em todos os quartos custa 1 euro por hora. À disposição dos clientes está uma grande variedade de snacks, bebidas e doces, disponivéis 24h/ 24h.

Em termos ambientais, uma preocupação que é transversal a todas as novas unidades do Grupo Accor, o ibis budget Porto Gaia dispõe de painéis solares para aquecimento das águas sanitárias e de uma fachada ventilada, que permite uma melhor performance energética e acústica. O hotel está igualmente dotado de caldeiras de alto rendimento e tem leds instalados em mais de 70% do seu espaço interior. Um sistema de gestão técnica centralizada permite optimizar o consumo de vários equipamentos consumidores de energia, designadamente os aparelhos de ar condicionado e as caldeiras.

O novo ibis budget Porto Gaia, que beneficia da notoriedade ímpar da marca ibis a nível mundial e da sua liderança em termos internacionais, é responsável pela criação de 10 postos de trabalho directos.

No caso do ibis budget, tal como se pode ler no seu slogan, a marca oferece “o essencial do conforto a um preço mínimo”. É um hotel moderno e acessível, com soluções práticas. Uma marca “limited service” e descontraída, que disponibiliza uma proposta de valor simples, ao alcance da maioria das pessoas.

Trabalhador morreu soterrado em S. Félix da Marinha

Morreu soterrado um dos dois trabalhadores que estavam numa obra, na rua dos Lagos, em S. Félix da Marinha.  No incidente, outro trabalhador foi apanhado pelo desabamento de terras, no entanto, acabou por escapar com apenas alguns ferimentos.

Os dois homens estava a canalizar uma ribeira quando o incidente ocorreu, pouco depois das 9h00 da manhã. A vítima mortal ficou soterrada no buraco, com 4 a 5 metros de profundidade. O ferido já foi transferido para o hospital Santos Silva.

No local estão os Bombeiros Espinhenses, com uma ambulância e um carro de desencarceramento (VSAT), e o INEM. (em atualização)

BEBÉ VIDA esclarece dúvidas sobre criopreservação de células estaminais

A BEBÉ VIDA promove, durante o mês de Abril, sessões de esclarecimento sobre criopreservação de células estaminais do sangue e do tecido do cordão umbilical para todos os futuros papás e mamãs na Região do Porto.

No dia 5 de Abril, pelas 20h30 decorre a sessão no Porto, no Centro de Pré e Pós Parto D’Barriga (Rua Sarmento Beires 339, Prelada).

Já no dia 20 de Abril, pelas 18h30, a BEBÉ VIDA estará em Gaia, no GIFt – Gabinete de Intervenção Familiar e Terapias (Rua Conselheiro Veloso da Cruz, 595, 4400-095 Vila Nova de Gaia). Aqui estará em debate um tema extra que diz respeito aos cuidados com o recém-nascido.

Com entrada gratuita mediante inscrição prévia, estas sessões pretendem esclarecer os presentes sobre o processo de criopreservação das células estaminais do sangue e do tecido do cordão umbilical, desde a aquisição do kit, à recolha do sangue até às vantagens de preservação deste tipo de células.

Poderão garantir a presença e ver esclarecidas todas as dúvidas inscrevendo-se através do e-mail mamas.sem.duvidas@bebevida.com ou do telefone 212 744 021 / 918 258 113, indicando nome, contacto, localidade e data prevista para o parto.

A BEBÉ VIDA é um banco de tecidos e células, 100% português, licenciado pelo Ministério da Saúde e eleito PME Líder 2010/2011. Disponibiliza o serviço de criopreservação de células estaminais do sangue e do tecido do cordão umbilical de recém-nascidos.

Ex-trabalhadores da Molin recebem indemnizações

11 anos depois da falência, os 160 trabalhadores que laboravam na Molin receberam hoje a indemnização da empresa. Valores variáveis entre 400 e 46 mil euros, conforme o vencimento e a antiguidade na fábrica de Canelas. Ao todo a Molin entrega um milhão de euros.

Os ex-funcionários foram chamados ao Tribunal de Comércio de Gaia para receber o que a empresa devia. Satisfeitos com a conclusão do processo, revelam apenas que peca por ser tardio.

Todo este processo se arrastou devido a muitas “divergências”, salientou o representante do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Norte. Alcino Santos revelou que primeiro atrasou por causa da mudança da administração da insolvência – “só aí emperrou logo quase cinco anos” – e depois a banca que não correspondia com as deliberações do tribunal, que dizia que os “trabalhadores eram credores privilegiados”.

A Molin faliu em Junho de 2001. Em Canelas ainda está o imponente edifício que recebia os trabalhadores. Vazio. A dúvida ainda hoje habita nas cabeças dos ex-trabalhadores e para a qual não conseguem resposta: o que levou à falência da Molin?