Kusturica regressa a Gaia

Três anos e meio depois, o músico e cineasta sérvio volta a atuar no concelho. Primeira edição do festival Positive Vives decorre no Areinho de Oliveira do Douro, dias 15 e 16 de junho, e traz ao município muita música alternativa, com o som reggae como pano de fundo

Depois de ter esgotado o Pavilhão Municipal de Gaia em novembro de 2008, Emir Kusturica e The No Smoking Orhestra estão de volta ao concelho. A atuação do músico e cineasta sérvio insere-se no cartaz do Positive Vibes, marcado para 15 e 16 de junho, para o Areinho de Oliveira do Douro.

A primeira edição deste festival está a cargo da câmara de Gaia e da empresa PEV Entertainment, precisamente as mesmas sinergias demonstradas na organização do Marés Vivas.

Tendo como mote “vibrações positivas”, no cartaz figuram ainda os nomes de Patrice, Richie Campbell, Xibata – que sobem ao palco no primeiro dia -, bem como Natiruts e Souls of Fire – que acompanham Kusturica na derradeira noite.

Com o intuito de ser um festival de verão alternativo e com muito som Reggae, a organização preparou ainda para o local a permanência da Tenda Soundsystem, por onde passam Jamrock, Celebration Sounds, Dirty Skank Beats, Aerosoul e Fyah Burn com Luana Bonfim (dia 15), tal como Pow Pow Movement, João Dinis e Youth Culture (dia 16).

Num recinto preparado para receber cerca de 15 mil pessoas, além do palco principal e das tendas, destaque ainda para ocorrência de workshops e para a Universidade do Reggae, que será um espaço dedicado ao conhecimento e às palestras, em que os oradores terão a oportunidade de abordar e interagir com os participantes sobre diversos temas.

O bilhete diário do Positive Vibes custa 18 euros e o passe para os dois dias 25 euros, acrescido da possibilidade de acampar gratuitamente junto ao recinto, e podem ser adquiridos nos locais habituais.

Positive Vibes no Areinho de Oliveira do Douro:
Dia 15
Palco Principal – Patrice, Richie Campbell e Xibata.
Tenda Soundsystem – Jamrock, Celebration Sounds, Dirty Skank Beats, Aerosoul e Fyah Burn com Luana Bonfim.
Dia 16
Palco Principal – Natiruts, Emir Kusturika & TNSO e Souls of Fire
Tenda Soundsystem – Pow Pow Movement, João Dinis e Youth Culture

Anúncios

Alguma luz ao fundo do túnel em Valadares

Após a agitação de ontem, a Cerâmica de Valadares prometeu pagar 400 euros a cada trabalhador ainda esta quinta-feira. O restante do ordenado de fevereiro deve estar na conta dos operários até ao final da semana desta sexta-feira.

“A administração garantiu-nos que está a fazer tudo por tudo para desbloquear o dinheiro que falta. E o facto de nos garantirem o pagamento de alguma coisa, fez-nos esperar até amanhã para ver se pagam o que falta. Não há muito mais que se possa fazer. Há famílias desesperadas, sem dinheiro para comer, sem luz em casa, sem dinheiro para os bens essenciais. É esse desespero que nos obriga a acreditar que desta vez será mesmo cumprida a promessa”, explicou um elemento da comissão de trabalhadores.

Com esta medida, os trabalhadores deverão voltar ao trabalho na próxima semana, ainda que o salário de março não esteja ainda garantido.

Ontem, os trabalhadores prometeram voltar a bloquear a entrada da cerâmica, caso a administração não pagasse o salário em atraso. “Vamos voltar a não deixar entrar ou sair as mercadorias, até nos pagarem”, revelaram. E não compreendem como é que “a administração está a deixar a fábrica cair, com tanto trabalho que há!”. Alguns dos trabalhadores mostraram estar a passar por grandes dificuldades económicas com todo este processo. E, enquanto esperavam por uma “satisfação” da empresa, foram gritando: “É mesmo necessário o pagamento do salário”.

Segundo a comissão de trabalhadores, há a garantia que a cerâmica tem algumas encomendas de volume avultado, porém, não tem financiamento a curto prazo para os salários nem para as matérias primas de qualidade. No entender do representante sindical, Augusto Nunes, “esta administração já não tem condições para ficar à frente da empresa”. Até agora, “não tem cumprido os acordos que tem feito”.

De salientar que são precisos cerca de 360 mil euros para o pagamento dos  salários de fevereiro, sendo que, desde esta quarta-feira, a administração já tinha conseguido desbloquear no banco cerca de 160 mil.

The Yeatman acolhe Exposição “In Vino Veritas” de Gustavo Fernandes

O vinho, a mulher e a música servem de inspiração à mostra de pintura e escultura do artista plástico português, em exposição no The Yeatman, de 30 de Março a 20 de Abril

O The Yeatman, hotel vínico de luxo do Porto, vai receber a Exposição “In Vino Veritas”, de Gustavo Fernandes, uma mostra de vocação surrealista e hiper-realista, inspirada no vinho e no universo vínico. Arte e Vinho mais uma vez em palco no The Yeatman, de 30 de Março a 20 de Abril.

A cerimónia de inauguração da exposição, no dia 30 de Março, será aberta ao público, sendo acompanhada por um cocktail no Dick’s Bar. Para os interessados, o hotel preparou ainda um programa muito especial, que inclui um jantar da autoria do Chef Ricardo Costa (1 estrela Michelin) e condições especiais de alojamento. Uma noite dedicada à arte e ao vinho, dois universos que confluem no trabalho de Gustavo Fernandes e na filosofia do hotel.

Para Miguel Velez, Director do Hotel, “O The Yeatman procura representar diferentes formas de viver e interpretar o vinho, sendo a arte uma das protagonistas, através das exposições permanentes dedicadas ao universo vínico nacional e das obras de pintura e escultura presentes por todo o hotel. Esta é a nossa missão: dar a conhecer o melhor do talento nacional em torno do vinho, seja na gastronomia, viticultura ou arte. ”

“In Vino Veritas” quebra fronteiras entre o Vinho e a Arte, em 40 obras de pintura a óleo e de escultura em madeira e bronze. O trabalho de Gustavo Fernandes é para ser “bebido” como um bom copo de vinho: uma experiência multissensorial, que convida a desfrutar de cada pormenor e provoca diferentes interpretações.

A exposição, patente na Sala Porto e Douro do The Yeatman até ao dia 20 de Abril, é mais uma iniciativa do The Yeatman para homenagear o universo vínico. O hotel conta com várias exposições permanentes de pintura, escultura e fotografia, numa viagem pela história e pelas várias regiões do país, que narra os grandes acontecimentos e promove o património nacional.

V EDIÇÃO DA EGG PARADE

Ovos gigantes invadem o Gaia Shopping

“Netovo” - Colégio de Gaia

A partir do dia 3 e até ao dia 19 de Abril, o Gaia Shopping vai ser invadido por uma autêntica “parada” de ovos – é o EGG PARADE 2012, e que contou com a participação de alunos e professores de 22 escolas de Gaia.

As autênticas obras de arte apresentadas a concurso, num total de 40 ovos concebidos por esses estudantes coordenados por professores da área da Educação Visual, serão apreciadas no próximo dia 3 de Abril pelas 10h00, por um júri composto pelos artistas plásticos Elsa Lé, Nazaré Álvares e Ricardo da Silva (este último docente), para decidirem quem serão os vencedores da V edição do Egg Parade. Esta exposição que será montada na madrugada do dia 2 estará patente ao público até 19 de Abril. Note-se que, segundo os dados desse mesmo Centro Comercial, no ano passado a mostra foi vista por mais de 550 mil visitantes, admitindo-se que este ano esse sucesso possa ser até superado.

Também nesse dia, pelas 11h00, na FNAC do Gaia Shopping, serão entregues os prémios relativos à IV EGG PARADE realizada em 2011:

1º Prémio –  “Netovo” – Colégio de Gaia – 2º ciclo (computador);

2ºPrémio –  “La Mariée” – E.B. 2/3 Soares dos Reis (monitor);

3º Prémio – E B 2/3 de Oliveira do Douro (máquina fotográfica);

1ª Menção Honrosa – “Ideia, Projecto, Criação” – E.V.T – Tecnológico E.B 2/3 de Valadares (máquina fotográfica);

2ª Menção Honrosa – Escola Básica e Secundária de Canelas/CEF – Empregados de mesa (Impressora multifunções).

Menezes ‘chama’ Marco António Costa para Gaia

Presidente da câmara municipal confessa que gostava de ser sucedido na autarquia pelo atual secretário de Estado da Solidariedade Social. Caso não se confirme este regresso, José Guilherme Aguiar, César Oliveira e Firmino Pereira são os nomes mais falados como hipóteses para encabeçarem, em 2013, a futura lista da coligação PSD-CDS/PP no concelho

Marco António Costa. Sem mais rodeios, este é nome preferido por Luís Filipe Menezes para a própria sucessão no cargo de presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia. Numa altura em que muito se especula sobre a figura do PSD que irá encabeçar a lista no concelho nas Autárquicas de 2013, o ainda líder politico do município aproveitou a presença no 34.º congresso social-democrata, realizado este fim de semana, para tirar todas as dúvidas.

“Ele [Marco António Costa] seria um excelente candidato. Foi um excelente vice-presidente. É muito popular em Gaia e as pessoas sabem que é muito competente”, confessa Menezes. “É a minha primeira opção e tudo farei para que ele seja candidato”, acrescenta.

Mas esta tomada de posição pública há muito havia sido defendida no passado. Várias foram as posições manifestadas pelo autarca de Gaia em abono de Marco António Costa na sucessão, principalmente enquanto este ocupava o cargo de número dois da edilidade. Esta foi, então, a primeira vez que falou do ex-companeihro do executivo, agora que este ocupa o cargo de secretário de Estado da Solidariedade Social do atual Governo e ainda a única figura a permaner na renovada Comissão Política Nacional do PSD.

Com mandato suspenso na câmara de Gaia e a dois anos das eleições, a bola está agora do lado de Marco António Costa. O regresso ao concelho é uma forte possibilidade, mas a decisão parace por tomar. “Se ele não quiser ser candidato, não será por isso que o PSD não ganhará as eleições em Gaia”, registou Luís Filipe Menezes, concluindo que este tem sido um dos temas de conversa que tem mantido regularmente com Pedro Passos Coelho, sendo certa a forte e provável possibilidade de deixar a autarquia de Gaia para atravessar o Rio Douro rumo à câmara do Porto.

Alternativas

A ver pelas palavras de Luís Filipe Menezes, Marco António Costa está na linha da frente para a sucessão. Todavia, caso assim não seja, alguns nomes se levantam na altura de se especular sobre quem irá então tentar manter o executivo da câmara para a coligação PSD-CDS/PP, que dura desde 1998.

Firmino Pereira, atual vice-presidente da autarquia, aparece aqui por inerência ao cargo que ocupa desde a saída de Marco António Costa para o Governo. Este dificilmente reunirá o consenso da maioria dos militantes do município, mas é sempre um nome a ter em conta para o futuro. Há ainda a possibilidade de César Oliveira. É ele quem lidera a Assembleia Municipal de Gaia, é muito respeitado no concelho e junto das coletividades, bem como carrega às costas o fardo da personagem de diplomata do PSD gaiense. Por fim, José Guilherme Aguiar. O ex-líder da Gaianima e ex-vereador do terceiro mandato de Menezes está hoje na Câmara Municipal de Matosinhos, tendo como responsabilidade o pelouro do Desporto. Entre as três hipóteses, é a figura mais mediática em termos nacionais e com maior notoriedade em Gaia, mas tudo irá depender da final posição que Luís Filipe Menezes venha a defender, caso Marco António Costa então decida não avançar.

Ainda com o tema da redução das freguesia no novo mapa de reordenamento do território em marcha, a verdade é que a procissão ainda vai no adro. Aliás, não se pode descorar a hipótese de alguns destes  quatro nomes estarem englobados na mesma lista de candidatura, jogando-se assim, com Menezes por fora, o tudo por tudo para manter a câmara com as mesmas cores. Posto isto, o mais provável  é a estratégia do PSD, em parceira com o CDS/PP, só ficar totalmente alinhavada lá para o final do verão. Até lá, as manobras políticas continuam nos bastidores da cena pública nacional.

Voluntários ‘varreram’ Gaia

DR

Sábado foi dia de limpeza nacional. O projeto ‘Limpar Portugal 2012’ voltou a reunir milhares de voluntários que arregaçaram as mangas e saíram para a rua para ‘apanhar’ o que os portugueses continuam a ‘atirar pela janela fora’.

Apesar de adesão ter sido inferior as duas edições anteriores, os voluntários que responderam ao apelo não descuraram a função que haviam recebido para aquele dia. Também em Vila Nova de Gaia a limpeza percorreu algumas vias da cidade.

Dezenas de gaienses andaram de cócoras e apanharam perto de 14 toneladas de lixo que, posteriormente, foram entregues à Suldouro. Voluntários das freguesias de Avintes, Canelas, Crestuma, Grijó, Madalena, Mafamude, Olival, Oliveira do Douro, Perosinho, Sandim, S. Félix da Marinha, Valadares e Vilar de Andorinho saíram das suas casas e deram o exemplo proativo do que se pode fazer. Mostraram que podem potenciar um ambiente sustentável com pequenas ações.

O Projeto Limpar Portugal Gaia 2012 contou com o apoio do pelouro do Ambiente e Protecção Civil do concelho de Gaia, assim como de algumas empresas locais e bombeiros.

O mundo agradece e as futuras gerações também.

Cerâmica ainda não pagou salários de fevereiro

Esta manhã, os trabalhadores da Cerâmica de Valadares reuniram, uma vez mais, devido ao atraso da empresa no pagamento dos salários. Em causa estão os ordenados de fevereiro que, segundo a comissão de trabalhadores, ainda não foram liquidados, como havia sido prometido pela direção da fábrica.

Não adiantaram as medidas que irão tomar, caso a situação não se altere, no entanto já marcaram uma conferência de imprensa que vai acontecer na manhã de quarta, junto às instalações da cerâmica.

A comissão já fez saber que será nessa ação que irá dar todas as explicações. Ainda assim, o representante dos trabalhadores confirmou à Lusa que “continuam à espera do pagamento do salário de fevereiro que a administração da empresa prometeu pagar há mais de uma semana”.

No início da semana passada, o administrador da Cerâmica explicou terem sido propostas férias a trabalhadores durante um período em que a fábrica se encontra em limpeza e “remodelações do processo de produção”. O que se confirma é que a produção Valadares continua parada e a maioria dos trabalhadores mantêm-se em casa.

Recorde-se que, em fevereiro, os trabalhadores bloquearam os portões da fábrica. Durante 15 dias, não entraram nem saíram mercadorias como forma de protesto pela falta de pagamentos dos salários em atraso de dezembro e janeiro.

Gaiahotel permanece encerrado

Encargos superiores às receitas mensais mantêm a unidade hoteleira fechada até à assembleia de credores agendada para abril

O Gaiahotel vai manter-se encerrado até à assembleia de credores agendada para abril. A razão de tal decisão advém do facto de não existirem as necessárias condições financeiras para fazer face aos encargos mensais desta unidade hoteleira, cujos encargos são superiores às receitas.

Segundo André Domingues, mandatário dos sócios do hotel, “só com salários e renda seriam necessários à volta de 80/90 mil euros. Escusando-se a quantificar o montante global da dívida, o mesmo disse que “não era interesse da administração e dos trabalhadores que o hotel encerrasse”.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Hotelaria, Francisco Figueiredo, terá sido o corte no abastecimento do gás a ditar o encerramento do hotel. O sindicalista disse que “o gás foi cortado na quarta-feira passada” e que “o fornecedor exige o pagamento integral da dívida para retomar o fornecimento”.

Francisco Figueiredo referiu que a maioria dos 33 trabalhadores vai suspender o contrato de trabalho até à referida realização da assembleia de credores. O dirigente do sindicato do setor considerou ainda que se trata de “uma unidade hoteleira importante na região, que sempre teve uma boa ocupação e de qualidade”, manifestando-se, por isso, convicto de que “o hotel vai ser viabilizado e que surgirão empresas interessadas na sua viabilização”.

Recorde-se que alguns dos trabalhadores suspenderam, em janeiro, o contrato de trabalho devido a ordenados em atraso desde o mês de novembro, mais os subsídios de Natal e, em alguns casos, de férias.

O Gaiahotel é das unidades hoteleiras com maior notoriedade no concelho e chegou mesmo a liderar a taxa de ocupação no município nas últimas duas décadas do milénio. Localizado no coração da cidade, em plena Avenida da República, este espaço dispõe de 92 quartos, seis salas de reunião, cabeleireiro, dois bares, garagem e health club, tal como uma excelente sala panorâmica no último andas que serve de restaurante. Pelo Gaiahotel passaram inúmeras figuras de renome nacional e internacional ligadas aos vários setores de atividade, bem como recebeu diversas equipas desportivas, entre as quais, durante anos, os estágios do FC Porto.

Câmara quer mais pontes no Douro

Autarquia apresenta, em abril, conjunto de novos projetos de ligação à cidade do Porto

A câmara de Gaia vê com bons olhos a construção de mais pontes sobre o Rio Douro. A ideia de haver mais travessias de ligação à cidade do Porto é há muito defendida pelo presidente da autarquia e isto mesmo voltou a ser notícia, esta terça-feira, à margem do arranque de mais um troço da Via Circular do Centro Histórico.

“Vamos apresentar um conjunto de travessias, entre elas algumas pontes que, em nosso entender, fazem sentido face à evolução das duas cidades nos últimos 15 anos”, registou o autarca. “Os movimentos pendulares aumentaram brutalmente, levando a uma congestão enorme das pontes da Arrábida, Freixo e mesmo do Infante”. Complementou.

Entre as travessias faladas no passado recente, lembramos a pedonal junto à Ponte D. Luís I e ainda outra perto da Ponte da Arrábida destinada a uma segunda linha do Metro na zona Oeste da cidade e de ligação à zona da Boavista.

“ A vida das cidades harmonizou-se. Isto significa que, hoje, ligar as duas cidades por pontes é ligar a mesma cidade entre si. Vai facilitar as atividades económicas a funcionarem dos dois lados do rio”, lembrou, depois de recentemente já ter admitido que uma “a verba necessária para mais uma ligação entre Lisboa e Almada sobre o Rio Tejo daria para construir dez novas pontes sobre o Rio Douro”.

De sublinhar que a câmara de Gaia espera apresentar este conjunto de projetos no início do mês de abril.

‘GAIA Educa a Brincar’ e ‘AEC em Férias’ ocupa alunos na Páscoa

O município de Gaia vai promover, na interrupção letiva da Páscoa, os projetos ‘GAIA Educa a Brincar’ e ‘AEC em Férias’, para as crianças do pré-escolar e do 1º ciclo, respetivamente.

Os projetos pretendem proporcionar às crianças/alunos um conjunto de atividades de caráter ludicopedagógico e, ao mesmo tempo, garantir uma resposta social às necessidades sentidas pelas famílias durante este período.

De 2 a 5 de abril, as atividades destinam-se aos alunos do pré-escolar, já os do ensino básico do 1º ciclo inscritos nas Atividades Extra Curriculares poderão participar de 26 de Março a 5 de Abril.

Os Encarregados de Educação deverão cumprir integralmente os horários de funcionamento (9h00 às 17h30)previamente definidos, por forma a evitar constrangimentos no normal funcionamento do projeto.

As inscrições devem ser efetuadas nos respetivos JI / EB1, em ficha própria, disponibilizada pela coordenadora do estabelecimento até ao dia 19 de Março de 2012. A frequência nas atividades é gratuita, sendo que deverá ser assegurado um mínimo de 15 inscrições por “PÓLO” (estabelecimento de ensino em funcionamento). A partir do momento em que inscrevem os educandos, deverão assegurar a frequência dos mesmos nas atividades inerentes.

O não cumprimento poderá inviabilizar a frequência do(s) aluno(s) em futuras atividades de interrupção letiva. Salvaguardam-se apenas as situações de ausência por doença ou motivos de força maior, devidamente justificados.

O funcionamento das atividades decorrerão em estabelecimento de ensino a designar pelo respetivo agrupamento de escolas.

As senhas de almoço respeitantes à totalidade dos dias de frequência, deverão ser adquiridas nos moldes habituais, por parte dos encarregados de educação, e entregues de acordo com o definido pelo próprio agrupamento.

Todas as crianças deverão levar um lanche para o período da manhã e da tarde.

As atividades propostas serão dinamizadas pelos assistentes técnicos no pré-escolar e pelos docentes das atividades de enriquecimento curricular no 1º ciclo, de acordo com planificações previamente elaboradas.

“Noite Solidária com”

O Departamento de Acção Social da Junta de Freguesia de Vilar de Andorinho tem vindo a comprovar a crescente dificuldade das famílias em cumprir ou mesmo iniciar planos de tratamento farmacológicos prescritos, em consequência da situação sócio economica actual.

Face a esta realidade, emerge então a necessidade de se procurar outras soluções para se poder apoiar condignamente as famílias. Uma das soluções encontradas pelo departamento foi a organização de um concerto – “Noite Solidária com” – cujas verbas angariadas vão reverter para o apoio à aquisição de medicamentos para as famílias carenciadas da freguesia.

O evento vai acontecer no dia 30 de março, sexta-feira, e conta  com a participação dos ilustres personagens, João Paulo Rodrigues & Pedro Alves (Quim Roscas e Zeca Estacionâncio), para além do grupo musical TrocoPasso e da cantora Catarina Pereira.

Câmara apresenta dívida ao Governo

Perante a missiva assinada pelos ministros dos Assuntos Parlamentares e das Finanças, Luís Filipe Menezes envia carta ao ao Inspetor-Geral das Finanças sobre o que a autarquia deve curto, médio e longo prazo

A Câmara Municipal de Gaia já enviou para ao Inspetor-Geral das Finanças a resposta à solicitação da actual situação financeira do município. Esta informação surge na sequência da intenção de o Governo ficar a saber qual o real estado das contas públicas afectas à gestão das autarquias portuguesas.

Aliás, a missiva foi assinada pelos ministros dos Assuntos Parlamentares e das Finanças, onde se pretende a cooperação institucional às 308 câmaras, relativamente a todas as dívidas de curto, médio e longo prazo, amplamente noticiada na comunicação social.

Leia na íntegra a carta enviada pelo município e assinada pelo presidente da câmara, Luís Filipe Menezes: “Apesar deste Município ter realizado, em contraciclo e nos últimos três mandatos, um investimento de cerca de 1,5 mil milhões de euros, o montante da dívida de médio/longo prazo do município do Vila Nova de Gaia (Banca e EDP), a 1 de Janeiro de 2012 é de 171.313.428,26 euros, na maioria, resultante da aplicação a que o Estado nos obrigou através do programa PER, em que construímos e reabilitamos cerca de 4.000 fogos de habitação social. Convém referir que a reestruturação da câmara e o aumento das suas receitas próprias, apesar da quebra resultante da crise conjuntural, tem permitido cumprir escrupulosamente todas as nossas obrigações para com a banca. Aliás, se olharmos para os números oficiais do DGAL, constatamos que o Município se encontra a meio da tabela dos grande municípios portugueses, no que diz respeito ao único parâmetro que permite comparações justas e razoáveis: o endividamento per capita. Acresce o facto deste endividamento, face à nossa política de rigor, ter diminuído em 2010, 23,4 milhões de euros, o que representa uma dimuição de 12% face a 2009, diminuindo ainda a dívida a médio/longo prazo em 2011, face a 2010, em mais de 18,8 milhões de euros.

O montante da dívida global a curto prazo, a 1 de Janeiro de 2012, é de 65.523.074,72 euros, tendo diminuído em cerca de 7,8 milhões de euros face a 1 de Janeiro de 2011. Os prazos de pagamento foram substancialmente encurtados (em 31 de dezembro de 2010 eram 271 dias e em 31 de dezembro de 2011 eram 123 dias). Todavia, não há milagres compatíveis com a conjuntura dos últimos três anos em que as receitas , decorrentes da atividade económica, caíram a pique.

Informamos também que esta situação de tesouraria poderia até ser confortável neste Município, sem necessidade de qualquer ajuda do Estado, se algumas empresas públicas (nomeadmente, Metro do Porto, CTT, RTP, Águas de Portugal e Estradas de Portugal), cumprissem os compromissos assumidos e há muito tempo vencidos para com este Município. Igualmente seria útil que o Estado fosse mais lesto na cooperação institucional em matérias como a da cobrança da Taxa Municipal de Proteção Civil, cuja sua efetividade continua dependente de uma decisão do Ministério das Finanças.