A Qualidade ao Seu Serviço!

25 anos. As chamadas Bodas de Prata. Este é o marco que a Confeitaria Monte Branco acaba de celebrar. O princípio de trabalho manteve-se: “Fazer as coisas com abnegação, profissionalismo” em prol dos que visitam os espaços Saiba Mais aqui…

 

 

Siga-nos no Facebook

Anúncios

Academia Pausa Ativa

Inaugurou no dia 23 de junho a Academia Pausa Ativa, em Lavadores. Um novo conceito que alia diversão e relaxamento ao exercício físico

Um espaço de luxo num ambiente privilegiado -com a praia como pano de fundo – a Academia Pausa Ativa proporciona momentos de diversão e de relaxamento no interior, como ao ar livre…. Saiba mais aqui…

 

Siga-nos no Facebook :)

“Trabalhar para divulgar a dança”

Academia Pedro Sousa é um bom exemplo de como se deve lutar pelo concretizar de um sonho ou ideal de vida, onde as poucas oportunidades não podem ser desculpa para a falta de êxito profissional. Com quase 17 anos de vida, além do ensino da dança, esta empresa tem ainda como alicerce funcional o calçado PortDance e a organização do evento anual PortDanceOpen

Numa altura em que o desemprego cresce diariamente e que os jovens parecem não ter alternativas para entrar no mercado de trabalho, importa colher do tecido empresarial gaiense alguns exemplos de sucesso, que nasceram de um sonho e da persistência na luta por seguir uma filosofia de vida. Quando as oportunidades não aparecem numa sociedade cada vez menos voltada para a produtividade, o empreendedorismo surge-nos como a melhor solução para enfrentar o melhor futuro profissional. Assim aconteceu, em 1995, com a abertura da Academia Pedro Sousa. E é precisamente esta a atividade que o Notícias de Gaia lhe apresenta nesta edição.

Por curioso que pareça, a Academia Pedro Sousa surge com o objetivo do ensino do Karaté, vertente Shotokai, desporto que Pedro Sousa praticava desde 1986. O nosso interlocutor tinha então apenas 21 anos e ainda um curso de Gestão de Empresas na Universidade Portucalense por concluir, o que aconteceu no ano seguinte. Todavia, volvidos apenas sete meses do arranque da atividade, as Danças de Salão passam a ser prioridade, mercê da constatação do grande potencial empresarial que podia ter e derivado do facto de também Pedro Sousa ter frequentado aulas desta especialidade.

Assim, passados quase 17 anos, o que outrora seria um sonho é hoje uma realidade. A Academia Pedro Sousa respira saúde, tem nova sede própria desde 2007, em Gulpilhares, depois de ter começado por usar o salão da coletividade do Rancho Regional desta freguesia e de ter ministrado cursos de dança em mais de 20 concelhos do norte do país. Cinco são as pessoas que aqui trabalham de forma efetiva e tem cerca de dez professores para um universo aproximado de 600 alunos, entre eles crianças com apenas três anos.

“O nosso trabalho aqui na Academia passa pela divulgação da dança em geral. Fomos dos primeiros no norte do país a trabalhar a dança em termos comerciais e a dar visibilidade à dança em termos de marketing”, lembra Pedro Sousa, registando que esta atividade não pode ser encarada apenas como um escape para as pessoas se esquecerem da crise: “A dança é uma atividade que existe para além da crise; é para as pessoas que gostam ou querem aprender a dançar”. Mais: “É lógico que tudo o que nos faz sentir bem funciona como escape. Aqui as pessoas sentem-se bem e não pensam nos problemas do dia a dia, como noutra qualquer atividade em que as pessoas sintam prazer. Aqui queimam-se calorias e libertam-se toxinas, que nos permitem encarar o próximo dia com toda a energia. Mas isto acontece com ou sem crise. O que importa é o gosto pela dança”.

E será que os recentes programas televisivos de dança ajudaram a quebrar preconceitos? Pedro Sousa responde de forma lacónica: “Nunca sentimos preconceitos. Estamos nesta área há 17 anos e esses programas apareceram há quatro ou cinco anos. Por termos já alguma dimensão, as pessoas começaram a falar mais em dança, mas não foi por isso que passamos a ter mais praticantes. Agora, é claro que ajudou a abrir mentes e deu maior visibilidade à dança”.

Natural de Mafamude, onde nasceu há 37 anos, Pedro Sousa reside em Francelos e, como gaiense que se preze, não deixa de tecer rasgados elogios ao concelho que o viu nascer, até porque é aqui que também desenvolve a própria atividade profissional. “Gaia é um concelho com muito potencial. Aqui vivem cada vez mais pessoas e há um nível médio de vida, onde se permite que existam atividades extras. É um concelho bem posicionado e desde que o atual presidente da câmara assumiu funções tem sempre crescido”, sublinha.

E termina: “O que digo às pessoas que ainda não conhecem a Academia é que apareçam aqui, pois as portas estão abertas. Se gostam de dançar ou querem aprender, seja que tipo de estilo for, à exceção do ballet, que venham experimentar uma aula”. Tudo porque, além dos cursos para noivos, na Academia Pedro Sousa não faltam estilos de dança para serem praticados. Entre eles, lembramos o Cha Cha Cha, Merengue, Slow Fox, Jive, Rumba Cubana, Valsa Inglesa, Samba, Tango, Dança de Salão, Quickstep, Salsa, Paso Doble, Valsa Vienense, Dance Kids, MobDance, Zumba, Dança Contemporânea e Hip Hop.

PortDance e PortDanceOpen

A par do ensino e prática da dança nos mais variados estilos, esta empresa tem ainda mais dois projetos alicerçados. Porque a ideia é sempre fazer mais e mostrar o tal empreendedorismo de que se falava no início desta reportagem, o nosso timoneiro explica a criação da coleção de calçado Portdance, em 2000, e do evento anual PortDanceOpen, desde 2009.

“Nos primeiros anos da Academia, sentimos que as pessoas procuravam calçado específico para a dança. Começamos a representar marcas para dar resposta às solicitações. Em 2000, criamos a nossa própria marca, a PortDance, com produção totalmente nacional. Hoje exportamos 75% dos produtos para uma média de 20 países. Ou seja, esta atividade tem uma boa dimensão dentro da empresa. Já a PortDanceOpen surgiu através de um convite feito pela Federação Portuguesa de Dança Desportiva para realizarmos um evento do género. Em 2009 decorreu o primeiro, apenas com moldes nacionais. Aproveitando a internacionalização da PortDance, os restantes tiveram nível internacional”, divulga Pedro Sousa.

Resta dizer que, este ano, a quarta edição do PortDanceOpen vai ter lugar, nos dias 14 e 15 de julho, no Pavilhão Multiusos de Gondomar.

IBIS BUDGET abre primeira unidade hoteleira em Gaia

Grupo Accor reforça aposta no segmento super económico com nova marca

O primeiro hotel em Portugal da IBIS BUDGET, marca criada recentemente pelo Grupo Accor, acaba de abrir em Vila Nova de Gaia, paredes meias com a cidade do Porto. Esta nova unidade hoteleira, a 29.ª que o grupo abre em Portugal, apresenta um conceito super económico inovador, estando a direcção a cargo de Carla Santos.

O ibis budget Porto Gaia dispõe de 95 quartos, óptimos acessos ao centro histórico do Porto, e reflecte a aposta do Grupo Accor no segmento da hotelaria super económica, com um tipo de oferta moderna e inovadora que pretende ser altamente concorrencial. O preço de alojamento por noite de um quarto para uma ou duas pessoas é de apenas 32 euros, com um suplemento de 5 euros para uma terceira pessoa.

Tendo como target principal os clientes individuais em deslocações de negócio ou lazer, o hotel oferece acolhimento 24h/24h e acesso internet gratuito a partir do lobby. O pequeno-almoço tem uma tarifa de 3,20 euros por pessoa e a ligação wi-fi disponível em todos os quartos custa 1 euro por hora. À disposição dos clientes está uma grande variedade de snacks, bebidas e doces, disponivéis 24h/ 24h.

Em termos ambientais, uma preocupação que é transversal a todas as novas unidades do Grupo Accor, o ibis budget Porto Gaia dispõe de painéis solares para aquecimento das águas sanitárias e de uma fachada ventilada, que permite uma melhor performance energética e acústica. O hotel está igualmente dotado de caldeiras de alto rendimento e tem leds instalados em mais de 70% do seu espaço interior. Um sistema de gestão técnica centralizada permite optimizar o consumo de vários equipamentos consumidores de energia, designadamente os aparelhos de ar condicionado e as caldeiras.

O novo ibis budget Porto Gaia, que beneficia da notoriedade ímpar da marca ibis a nível mundial e da sua liderança em termos internacionais, é responsável pela criação de 10 postos de trabalho directos.

No caso do ibis budget, tal como se pode ler no seu slogan, a marca oferece “o essencial do conforto a um preço mínimo”. É um hotel moderno e acessível, com soluções práticas. Uma marca “limited service” e descontraída, que disponibiliza uma proposta de valor simples, ao alcance da maioria das pessoas.

Assistência técnica séria e de qualidade

Sediada em Gaia, a Jotavêta trabalha oficialmente para a Ariston e Domusa. A empresa procede à reparação de equipamentos destas duas marcas e é ela quem tem a responsabilidade de manter a boa imagem das mesmas. Conheça as mais-valias desta firma em relação ao que de mau podemos encontrar no mercado… saiba mais sobre a empresa Jotavêjota

Qualidade e seriedade ao serviço do cliente

Rui Santa é o nome do proprietário de uma das empresas de construção civil, sediadas em Gaia, que ainda vai tendo mercado para resistir aos constrangimentos financeiro que este setor tem sido alvo nos últimos anos. Se a edificação própria se mantém no terreno, a recuperação de casas e moradias é o ponto forte desta empresa e representa 90% do volume de negócio… saiba mais sobre a empresa Rui Santa Construções

Exemplo de empreendedorismo em Gaia

Maxi Rolos é o testemunho vivo de como se podem ultrapassar obstáculos profissionais nesta altura de crise. António Pinto e Altair Barsosa arriscam tudo o que tinham para criar os próprios postos de trabalho e, passados seis anos do arranque do projeto, pode dizer-se que o sucesso está conseguido. Trabalhar em núcleos metálicos (rolos) para máquinas gráficas e de outros setores é a solução encontrada pelos dois recentes empresários… saiba mais sobre a empresa Maxi rolos

A referência no tratamento do ferro

Sediada na freguesia de Serzedo, empresa  posiciona-se no mercado especificamente no tratamento de estruturas metálicas em ferro, usando para isso todo o conhecimento afecto às técnicas de decapagem, metalização e pintura. Joaquim Zenha é o mentor de todo este projecto empresarial

Além dos serviços, do posicionamento estratégico geográfico, das boas acessibilidades e de todo um manancial de mais-valias que advêm do facto de agregar no mesmo espaço meios urbano e rural, rio e praia, bem como todas as ofertas ao necessário bem estar da população, Vila Nova de Gaia é também um concelho rico em termos de soluções empresariais. Assim, muitas destas actividades são do desconhecimento de grande parte da população. Posto isto, o Notícias de Gaia foi à procura de algumas das ofertas inovadoras no sector industrial. Nesta edição, encontrámos e damos a conhecer a Zenha & Santos, Lda.
Sediada na freguesia de Serzedo, esta empresa posiciona-se no mercado especificamente no tratamento de estruturas metálicas em ferro, usando para isso todo o conhecimento afecto às técnicas de decapagem, metalização e pintura. Portas, portões e janelas em ferro, grades e estruturas de protecção e suporte, asnas, vigas, pilares, pontes e passadiços, bem como todo o tipo de estruturas metálicas de pequena, média e grande dimensão são alguns dos exemplos onde incide o trabalho feito pela Zenha & Santos, Lda.
Com cerca de seis anos de vida, Joaquim Zenha é o mentor de todo este projecto. A experiência de 15 anos permite-lhe dar as devidas respostas ao trabalho que à empresa é solicitado. “Os nossos principais clientes são de serralharia civil, directa ou indirectamente ligados com a construção. Normalmente, é o cliente que traz a obra, mas também a podemos ir buscar. Depois todo o trabalho é feito aqui. Ou seja, o produto vem transformado e nós fazemos o tratamento dele, indo de encontro ao que o cliente deseja”, afiança o nosso interlocutor.
Para quem não conhece, “a decapagem é feita com granalha de aço ou areia sílica, efectuada com sistemas de ar comprimido, que deixa a superfície dos materiais ferrosos limpa de resíduos de ferro, impurezas e gorduras, que normalmente são inconvenientes apreciáveis”. Depois deste processo, a estrutura passa para a secção de metalização, de forma a que o ferro seja pulverizado e tratado com zinco, “ficando com um longo recorde de sucesso sem igual no tratamento anti-corrosão”, regista Joaquim Zenha, lembrando que esta técnica consiste em “projectar arame de zinco derretido sobre uma determinada superfície, usando uma pistola a gás, para que se obtenha um trabalho mais uniforme, rápido e de superior qualidade”. Por fim, surge a pintura. “Este trabalho serve de complemento. Normalmente, os pintores em obra fazem o acabamento final. Contudo, desde que requisitada, também executamos esta tarefa”, acrescenta.

Teleférico é obra de cartaz
De há seis meses a esta parte o volume de negócio tem vindo a decrescer. Aliás, segundo Joaquim Zenha, “registam-se quebras na ordem dos 60%”. Tudo por causa da situação política e económica do país. “A exigência neste mercado é enorme e temos de esmagar os preços. Há muitas adversidades e a ginástica financeira é enorme, por causa das más cobranças, mas isto são ossos do ofício”, manifesta.
Nada que deite por terra o sonho e a vivacidade deste empresário de 42 anos. Aliás, traduzidos em algumas obras de renome, como são os casos do Teleférico de Gaia, de trabalhos para a Suldouro, para o IC 19 (em Lisboa) e na renovação da EB 2/3 de Canelas. “Todos os trabalhos que fazemos deixam-nos satisfeitos. Mas quando são perto de nós, dão-nos outro estímulo, até porque passamos por eles regularmente e isso faz-nos lembrar e dá-nos algum prazer de os rever”, confessa Joaquim Zenha, gaiense de gema e natural de São Félix da Marinha.
“As obras grandes em Gaia estão a acabar, mas vão sempre aparecendo situações ligeiras. Temos uma até que vamos tratar e que vai para Angola. Temos resposta para todas as solicitações, mesmo que sejam para enviar para o estrangeiro. A obra chega cá e depois fazemos o nosso trabalho”, complementa.
“O lema e filosofia de trabalho desta empresa é tentar ajustar o serviço ao que o cliente pretende, de forma a que o trabalho seja eficaz, correcto, ajustado e sério. Ou seja, basicamente, ir ao encontro do cliente, para que este obtenha um trabalho mais competente e rigoroso. A nossa estrutura é satisfazer os clientes, cumprindo sempre os prazos e tudo o que é solicitado”, finaliza Joaquim Zenha.
De registar que a Zenha & Santos, Lda. tem sede na Rua Sete Caminhos, 190, em Serzedo. Pode ainda encontrar toda a informação desta empresa gaiense de referência no site www.zenhaesantos.com, ou pedir informações pelos telefone 220 997 335 e 917 390 022 ou pelo email geral@zenhaesantos.com. Importa dizer que a Zenha & Santos, Lda. está aberta de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 12h30 e das 13h30 às 18h30, bem como aos sábados, das 8h30 às 13h, ficando a reserva do atendimento extra-horário laboral e por marcação.

Grupo Casa Cristão

Bem servir em momentos de pesar

Com 71 anos de experiência, o Grupo Casa Cristão continua vivo e a dar a melhor resposta aos momentos de dor provocados pela morte. José Maria Cristão é o mentor da empresa, António Cristão expande o negócio e agora, com a visão mais jovem do filho Vítor Cristão, projecta-se um futuro de inovadores serviços alicerçados à história de confiança, transparência e proximidade sempre mantidas… Saiba mais sobre o Grupo Casa Cristão

Rema(x) contra a maré

Para melhor conhecer a actual realidade do sector imobiliário e ver que no meio desta crise económica internacional ainda surgem boas oportunidades, nada melhor do que ouvir, na pessoa de Rui Dias, a experiência de uma empresa com créditos firmados em Portugal e em todo o mundo… Quer saber mais?

Dancetaria Gente Gira

Ambiente familiar de excelência

A música de baile serve de mote, o excelente atendimento é um extra, o simpático espaço físico – cerca de 1000m2 de salão, entre os quais perto de 250m2 de pista, mais 1000m2 de espaço exterior ajardinado e iluminado, parque de estacionamento, cozinha industrial equipada e serviço snack-bar no futuro, bem como outra sala para cerca de 100 pessoas – são as reais mais-valias a conhecer na Gente Gira Dancetaria

Mr. Smart é escolha inteligente

Empresa dedica toda a actividade ao carro desenhado pela “Swatch e produzido pela Mercedes com Art”. José Soares explica ao Notícias de Gaia a paixão que tem por este veículo e que o levou ao negócio que tem hoje. Mais do que uma simples empresa onde se pode comprar ou fazer assistência ao seu Smart, aqui tudo se faz com amor à causa. E quando assim é, o resultado final só pode ser positivo…. Quer conhecer a Mr. Smart? Clique aqui…

CaetanoBus inicia teste do Autocarro Eléctrico em Gaia e na Alemanha

O Autocarro Eléctrico, CAETANO 2500EL, desenvolvido pela CaetanoBus e pela EFACEC, acaba de dar início ao programa de teste que decorrerá por um período de 3 meses, até 9 de Dezembro, em Vila Nova de Gaia. Esta fase de melhoria da performance do protótipo eléctrico conta com o apoio do QREN e integra como parceiros a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, a transportadora Transdev, o Instituto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial (INEGI) e a FEUP. Uma segunda unidade fará testes e demonstrações em contexto operacional em algumas cidades alemãs.

A apresentação e arranque oficial do teste de estrada do CAETANO 2500EL contou com a presença do ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, e do presidente da autarquia gaiense, Luís Filipe Menezes, integrando uma visita às instalações e à linha de produção da CaetanoBus.

Terminada que está a 1ª fase prevista para a concepção e produção do Autocarro Eléctrico, a CaetanoBus dá agora inicio à 2ª fase de desenvolvimento deste projecto dedicado ao ensaio em condições reais deste novo autocarro. Dado o conceito único e pioneiro a nível mundial, pretende-se reunir informação através deste teste em 3 áreas concretas: na definição de estratégias de carregamento e acondicionamento térmico das baterias e da gestão de energia; capacidade de aproveitamento do potencial de energia regenerativa na travagem;  e grau de performance energética dos sistemas auxiliares incorporados no protótipo.

Para este efeito, a câmara de Gaia integra-se como parceiro para receber o teste piloto através da definição da ligação deste equipamento e serviço ao município e rede de transportes, no âmbito da politica de mobilidade sustentável. Assim, o percurso servirá, em modo de viagens “shuttle”, os utentes do município ao longo da Avenida da República, numa rota entre o Jardim do Morro (à Ponte D. Luís I) e a EN 222, junto à sede da empresa e Grupo Salvador Caetano.

Este serviço será operado e garantido pela Transdev, que terá a rotina de levar o autocarro ao ponto de carregamento instalado para o efeito, para recarga das baterias ao longo do dia. O teste ao Autocarro Eléctrico tem previsto ao longo do dia várias paragens programadas para recarga das baterias para permitir aumentar o volume e qualidade de dados recolhidos neste teste – salienta-se que a autonomia das baterias está projectada para servir um dia total de utilização do autocarro.

Durante o período em que o autocarro eléctrico fica à carga, a Transdev contará com um autocarro idêntico, mas com motorização Diesel, disponibilizado pela CaetanoBus.

Os dados da performance das baterias, motorização e gestão de energia serão recolhidos por via de um DataLogger instalado a bordo e serão acompanhados pelos dados de carga. Em acréscimo, o autocarro eléctrico será monitorizado com um sistema de localização (GPS). Esta informação será recolhida e tratada pelo INEGI e FEUP que, em conjunto com o departamento de I&D da CaetanoBus, vão permitir introduzir melhorias de parametrizações e performance da motorização e da gestão de energia do sistema eléctrico da versão final para comercialização.

Na Alemanha, uma segunda unidade do autocarro eléctrico irá circular num serviço de transporte regular que liga as cidades de Mühlheim, Offenbach e Frankfurt de forma ecológica. Trata-se do primeiro serviço regular de autocarros eléctricos na Alemanha, ao abrigo do programa de testes deste modelo e que complementará os testes a decorrer em Portugal.

‘Divas’ mostra-se em desfile de moda

Na próxima sexta-feira, pelas 22 horas, o Muxima Bar, na Madalena, vai ser o palco de um desfile de moda do atelier Divas.

Este evento contará com diversos participantes que aliam trabalho e criatividade ao atelier Divas. Este atelier – situado em Santo Ovídio – é vocacionado para a alta costura, sendo as clientes mulheres modernas que procuram roupas de gala/cerimónia ou vestidos de noiva.

O atelier Divas, actualmente sob a direcção de Joana Volta (consultora e criativa da Divas), prima pelo atendimento personalizado e pelos modelos únicos, feitos à medida de cada cliente.

As modelos do desfile, entre elas Luísa Caseiro, ex-concorrente do programa Operação Triunfo 2010, irão utilizar jóias em prata inspiradas na natureza, criadas pela jovem designer premiada, Joana Ribeiro. As jóias pretendem mostrar que todas as mulheres podem ser modernas e, ao mesmo tempo, criativas quando vão a um evento. Joana Ribeiro é já uma marca registada nacional, tendo vencido em 2009 o prémio de Jovem Criadora na categoria de Joalharia e, recentemente, um dos seus anéis, o Ruber Folium, obteve o 3ºPrémio na categoria de Inovação no concurso VIP Jóias 2010.

Os cabelos ficarão a cargo do cabeleireiro Américo Peixoto, dono de dois salões em Gaia. O seu currículo é muito variado: vai desde produções de moda, televisão, shows, acções de formação e apresentações para profissionais ao serviço de atendimento a clientes nos seus espaços.

No departamento de maquilhagem estará Jenny Miranda, uma jovem dinâmica habituada a maquilhar modelos em grandes sessões fotográficas. Dá workshops em vários espaços, já colaborou com a rede Globo e é especialista em maquilhar noivas.

Para a fotografia e filmagem, o evento contará com o profissionalismo dos Momento Cativo. Esta dupla faz todo o tipo de fotografias: beauty, produções de moda, casamentos, eventos… Mais do que fotografar, a sua missão passa por captar momentos únicos de forma criativa – “Não fotografamos, captamos momentos, registamos sorrisos, testemunhamos afectos…”

“A concertação social, em Portugal, é uma fraude”

Fernando Morais está desde a primeira hora na Associação Nacional de Pequenas e Médias Empresas (ANPME). Hoje acumula também funções de vice-presidente da Confederação Europeia das Associações de Pequenas e Médias Empresas. Por estranho que pareça, a ANPME nunca é ouvida na hora de juntar os representantes da concertação social. Porquê? Porque nem sequer são chamados, mesmo sendo a maior associação do país e representar grande parte destes empresários.
Muito crítico em relação ao actual Governo, aponta o dedo à concertação social e ao “branqueamento” da situação por parte do Estado. Consequências? “Tráfego de influência, corrupção, e subsídios delapidados”.
O sector da construção civil preocupa-o, assim como a lei do arrendamento totalmente desadequada à realidade do país.
Para além disto, Fernando Morais dedica parte do seu dia a vertentes muito diferentes. À gestão de empresas, às aulas no ensino superior, ginásio, leitura e música. O piano é uma paixão dentro de muitas outras. O agora professor ainda teve tempo para um curso no conservatório. Com tantos ofícios, o tempo deve rarear no quotidiano deste empresário… “não, consigo organizar tudo”, ressalva.
Pela primeira vez, em discurso directo, no Notícias de Gaia… Leia mais aqui…

Best Opção alia qualidade e inovação

Apesar de estar apenas há quatro anos em Vila Nova de Gaia, a Best Opção já tem um nome consolidado no sector. Aposta na qualidade do serviço e na base organizativa para garantir ao cliente a melhor opção. O representante legal da empresa conhece-a desde o primeiro dia. E luta pelas melhores condições para as mediadoras. Licínio Gomes reclama a concorrência desleal que enfrenta diariamente e acusa mesmo o Estado de ‘tapar os olhos’ com os que não cumprem as regras. Se a empresa cumpre todos os requisitos legais, não compreende como a concorrência ilegal se mantém de portas abertas.
O administrador reconhece que com estas leis as mediadoras têm limites bem vincados no serviço que presta ao cliente. E não entende que o Estado não tenha vontade em alargar a sua área de influência. Reconhece que, ao contrário de muitos países europeus, o cliente usufrui gratuitamente de muitos serviços e, para piorar a situação, não valoriza o trabalho que lhes é prestado.
Não pretendem alargar horizontes para o resto do país, mas está bem atento ao que se passa a Norte. A última paixão é Famalicão. Um mercado completamente diferente do de Gaia, e com potencialidades brutais. Se procura uma casa, seja para arrendar ou para comprar, a sua maior acção é procurar a Best Opção. Leia mais aqui…

Fasa investe nos Planos de Segurança dos Edifícios

Nasceu no Porto, mas é em Gaia que vive desde muito novo. Acácio Amorim lidera o gabinete de arquitectura Fasa, instalado mesmo no coração da cidade. Recentemente ‘abraçou’ um novo desafio: os Planos de Segurança dos edifícios de 3.ª e 4.ª categoria. Foi mesmo pioneiro nesta área. Domina todas as áreas da empresa. Mas há uma variante que se destaca… o acompanhamento permanente do cliente. Desde que começa até ao final de qualquer projecto, Acácio Amorim garante que está ao lado do cliente, para melhor o servir. Leia mais aqui…