Festas populares animam a cidade

Marchas e fogo atraem milhares de pessoas à beira-rio. S. Pedro é o santo popular que está agora em destaque. Fogo de sábado e grandiosa procissão de domingo são os dois pontos altos da festa na Afurada

‘Olha o balão, na noite de S. João’. É assim que começa um dos refrões mais conhecidos e trauteados nas festas populares. E, na verdade, na noite mais longa a que o Porto e Gaia assiste – e resiste – foram muitos os balões que iluminaram o céu. S. Pedro deu uma ajuda e nem as tradicionais orvalhadas estragaram a festa.
O alho porro e os martelinhos – mais ou menos elaborados – foram os reis e senhores da noite, mas foi o fogo o que mais olhares captou. Como sempre, agradou a alguns (muitos têm de se dizer) e não satisfez outros. Mas o espectáculo de luz e som ficou bem marcado como ponto alto para milhares de ‘foliões’ das duas margens do rio.
Depois do fogo, foi um vê se te avias para percorrer centenas de metros pelas ruas das duas cidades. As músicas tradicionais e rapioqueiras também não faltaram. Em Gaia, no Cais, foram muitos os que dançaram pela noite dentro. Pelo menos enquanto as pernas e os pés permitiram.
Na semana anterior foi a vez das marchas saírem à rua e embelezarem a beira-rio. Este ano foram nove as ‘concorrentes’ que desfilaram perante o olhar de centenas de gaienses. Crestuma, Valadares, Avintes, Pedroso, Sermonde, Afurada, Mafamude, Vilar do Paraíso e Santa Marinha foram as freguesias que mostraram os dotes em áreas distintas. 17 elementos foram classificando a música, letra, coreografia, cenografia e, claro, o guarda-roupa. No final, as vencedoras foram Santa Marinha, Vilar do Paraíso e Afurada, respectivamente.
Estas duas iniciativas provaram que os gaienses estão receptivos. Sempre que há eventos na zona histórica, muitos são os que esperam para assistir. Pena é que não haja uma programação perma-nente que dinamize todo o espaço da beira-rio.
Segue-se agora o S. Pedro. E as noites mais atractivas. Já hoje, dia do padroeiro da vila piscatória, pelas 19 horas, a Igreja da Afurada via receber a Missa da Festa, com participação do Grupo Coral da freguesia. Marcos Levi sobe ao palco pelas 22 h00 e, pelas 23h30, será a vez de Leandro.
Sábado começa bem cedo em festa. Pelas 9h00, os Mareantes do Rio Douro desfilam para a tradicional arruada. Às 15h00, o Trio Eléctrico ‘Cambalacho’ vai agitar a freguesia. Pelas 22h00, Emanuel dá o mote para o bailarico, entoando êxitos da musica popular. O desejado e grandioso fogo começará quando o relógio bater as 12 badaladas e, seguramente, atrairá centenas de pessoas ao local. A noite encerra com o grupo Ponto Fixo.
O domingo é, talvez, o dia mais emotivo. A arruada estará a cargo da Banda Musical 1.º de Agosto e às 11h00 será a hora da homilia na Pra-ceta de São Pedro. Segue-se o momento religioso que enche as ruas de milhares de devotos. Pelas 15h30, está prevista a saída do andor para deposição da coroa de flores no mar. Meia hora depois, a Procissão. Todas as ruas da freguesia serão calcorreadas, dando oportunidade a comunidade para dar graças ao padroeiro dos pescadores. José Cid é a figura da noite, actuando às 22h00, e Miguelão do Acordeão fecha a cortina do palco afuradense, pelas 23h30.
Segunda feira encerram as imponentes festas. Os Diapasão sobem ao palco às 21h30 e, por volta da meia noite e meia, há a tradicional descarga de morteiros. Seguramente, não faltarão motivos para que os gaienses e toda a comunidade dos municípios vizinhos visitem a freguesia da Afurada.

Siga-nos no Facebook

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s