PEACHES substitui Gorillaz Sound System

Último nome confirmado para o Festival Marés Vivas

Acha que conhece a Peaches? Talvez conheça. Quer seja fã desde antes do lançamento em 2000 do seu inovador The Teaches of Peaches, ou só aí a ter conhecido pela primeira vez, prepare-se para a conhecer muito melhor.

No seu quarto álbum I Feel Cream, o que ela corrompe – mais uma vez – são preconceitos sobre quem é a Peaches e o que faz. Tendo mantido durante uma década a atenção do público de todo o mundo, agora revela uma nova dimensão da sua arte. Estas novas doze canções contam com performances vocais de uma vulnerabilidade surpreendente e uma sofisticação “cool”. Minimalista, nenhum som é desperdiçado gerando cada letra e groove em evidência. E um toque fresco na abordagem idenpendente de Peaches junta-se à escrita e à produção, com a ajuda de colegas tão formidáveis e inspirados como a própria Peaches.

Oiça ‘Talk to Me’ e sinta a paixão com que Peaches invoca e implora, uma perfomance imbuída de uma crueza que lembra as granes senhoras do Soul dos anos ’70. No outro lado do espectro, ‘Lose You’ pode lembrar a elegância gelada do novo romantismo do synth-pop, contudo Steve Strange nunca cantou com tanta delicadeza ou requinte melódico. “Nos meus sonhos mais selvagens, eu nunca pensei em ter uma música como ‘Lose You’ – com um cantar suave, que evoca diferentes emoções – no meu álbum”, admite Peaches.

Uma figura revolucionária na música electrónica do século XXI, Peaches pode ainda fazer referência às inovações de ícones da mesma opinião que a precederam. A escuridão, os sintetizadores palpitantes e os bater de palmas mecanizados de ‘More’ sublinham a sua afinidade com Suicide – assim como a sua decisão de  evitar as guitarras ao longo do álbum, mesmo na ‘Show Stopper’. Na música que dá o nome ao álbum Peaches canta num registo melódico alto sem grande esforço – nunca a tínhamos ouvido cantar assim – sobre teclados oscilantes, e de repente agarra para trás com calma, num estilo rap precore sobre uma batida electro matadora como na ‘Let the Music Play’ de Shannon, evocando essa feliz era no início dos anos ’80 quando a música disco voltou underground e mutada.

Acha que conhece Peaches? Quer apostar? www.peachesrocks.com

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s