Sociedade

Empresas municipais com orçamento de 38 milhões

Câmara exige rigor e poupança, aguardando que se faça mais com menos meios

O Plano e Orçamento 2010 para as empresas municipais é de 38,7 milhões de euros. O documento foi apresentado pelo vice-presidente da câmara nos últimos dias de 2009.

“Este ano vão ser reduzidas em cerca de 10% as transferências de despesa corrente. Com isto pretende-se que haja mais rigor e poupança em custos não reprodutivos”, adiantou Marco António Costa, acrescentando que 70% do valor divulgado é garantido por fundos próprios das empresas.

Passando o discurso um pouco pelas actividades de cada empresa, Marco António falou da Águas de Gaia e no congelamento dos tarifários no escalão 1 e no alargamento de outros escalões, tendo em vista dar resposta às famílias mais desfavorecidas e com mais de quatro elementos. “Trata-se de uma importante medida social que não quisemos deixar de salvaguardar”, registou.

Sobre a Sociedade de Reabilitação Urbana o destaque recaiu no investimento de 1,8 milhões de euros na criação de um fundo financeiro para aquisição de bens imóveis no Centro Histórico, que serão depois reabilitados e vendidos a preços de mercado. “Neste local será ainda criada uma linha de crédito para os proprietários poderem reabilitar os seus imóveis e pretendemos cobrir a Rua de Guilherme Gomes Fernandes”, afiançou.

No que diz respeito à Gaianima, Marco António Costa confere que serão mantidos os 15 Centros de Formação Desportiva, duas Escolas Municipais e que se pretende construir campos de golfe, bem como realizar 17 provas desportivas de dimensão nacional.

Fazer mais com menos meios

INOVA.Gaia, AMIgaia e Energaia mantêm o timbre de intervenção no plano económico e de apoio ao empreendedorismo. Neste tópico a autarquia espera que, em 2010, sejam formalizados o Portal do Empreendedor e o Observatório Local de Estudos Económicos e Sociais, que arranque o projecto “Finicia Eixo 2” (apoio a projectos empresariais em fase inicial com capital de risco) e se execute a reabilitação dos parques industriais existentes através da “Gaia Fénix Industria”.

Por fim, a Gaiurb e o Parque Biológico. Na primeira empresa o Plano e Orçamento prevê a aposta na prestação de serviços externos de apoio a municípios portugueses e estrangeiros; sobre a segunda espera-se que continue a ser uma entidade responsável na gestão de todos os espaços verdes, com a inauguração do Parque da Ponte Maria Pia.

” As empresas municipais vão ter de fazer mais com menos meios. Queremos fazer uma espécie de gestão em holding do universo municipal”, concluiu Marco António Costa.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s