Sociedade

“Medidas Simples, Salvam Vidas”

CCI_Rastreio 061A Comissão de Controlo de Infecção (CCI) desenvolveu hoje mais uma fase da campanha “Medidas Simples, Salvam Vidas” que visa continuar a envolver profissionais e utentes do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho.

A aposta nestas campanhas apresenta resultados francamente positivos, que colocam este Centro Hospitalar entre as mais baixas taxas de prevalência do país: em 4 anos registou-se uma diminuição de 5% no número de infecções hospitalares. O arranque foi dado com a palestra Higienização das Mãos – uma responsabilidade partilhada. A limpeza das mãos de profissionais e utentes começou a ser avaliada, em vários pontos do Hospital, entre as 10h00 e as 12h30.

O CHVNG/E aderiu, em Janeiro de 2009, à estratégia nacional para a melhoria da higiene das mãos inserida nas iniciativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre segurança do doente. Este desafio tem como objectivo prevenir as infecções associadas aos cuidados de saúde (IACS) e tendo como mensagem de base a frase “medidas simples salvam vidas”, preconiza, entre outras acções, a higiene das mãos como uma das medidas que mais impacto tem na redução daquelas infecções, na diminuição da resistência aos antimicrobianos e na redução dos custos associados a estas problemáticas.

“Sabemos que, a infecção decorrente da prestação de cuidados constitui hoje um problema muito real e sério no contexto da qualidade da prestação de cuidados de saúde. A lavagem e desinfecção das mãos (com solução alcoólica) assume um papel muito importante na protecção quer dos doentes, quer dos profissionais de saúde”, adianta o Coordenador da Comissão de Controlo de Infecção, Rosas Vieira.

CCI_Rastreio 040“A infecção decorrente da prestação de cuidados constitui hoje um problema muito real e sério no contexto da qualidade da prestação de cuidados de saúde. A lavagem e desinfecção das mãos (com solução alcoólica) assume um papel muito importante na protecção quer dos doentes, quer dos profissionais de saúde”, explica a Coordenadora Local da Campanha Nacional, e membro executivo da CCI, Rosa Oliveira.

A acção de prevenção actuou em diversas frentes: várias equipas, localizadas em diversos pontos do hospital e coordenadas pela Rosa Oliveira, sensibilizando e motivando para a prática da lavagem das mãos e alertar para os efeitos nocivos que podem advir de quando esta não é realizada correctamente.

Os objectivos passam por sensibilizar o pessoal hospitalar para a importância da prática e, por outro lado, esclarecer os visitantes sobre os perigos que representa a não lavagem das mãos, sobretudo, quando se deslocam ao hospital para contactar com doentes internados. Para tal, terão lugar exercícios de lavagem das mãos e respectivo teste com máquinas próprias, que comprove os procedimentos adequados.

TAXA DE PREVALÊNCIA DE INFECÇÕES DIMINUIU

No CHVNG/E, a taxa de prevalência de infecções tem vindo a diminuir de ano para ano. Na sequência do Inquérito de Prevalência de Infecção, de 2009, foi registada a taxa de 9%, “uma das melhores taxas a nível nacional”, garante a coordenadora da campanha. Comparativamente com o ano de 2006 a taxa de prevalência diminuiu perto de 5%, uma tendência que se verifica desde 2005.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s