Sociedade

Unidade de medicina da reprodução com Vida Nova

News 064Abriram oficialmente as portas da nova Unidade de Medicina da Reprodução do Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E). O espaço, que durante 18 anos recebeu milhares de casais com problemas de fertilidade, é agora uma nova Unidade de Medicina da Reprodução (UMR), com uma área de mais de 200 metros quadrados, melhores condições de atendimento e de desenvolvimento da actividade, num investimento total de um milhão e quinhentos mil euros. As novas instalações da Unidade de Medicina da Reprodução, na unidade II, foram construídas no âmbito do projecto de incentivos do Ministério da Saúde para a Procriação Medicamente Assistida. A entrada em funcionamento da nova Unidade foi marcada pela presença do responsáveis da ARS Norte (o presidente, Maciel Barbosa, e o vice presidente, Fernando Araújo) que aproveitaram a ocasião para apresentar os investimentos feitos centros PMA (Procriação Medicamente Assistida) existentes em hospitais públicos, e o Presidente do Conselho de Administração do CHVNG/E, João Ferreira.

CHVNGO investimento efectuado, um dos mais elevados feitos a nível nacional, fruto do financiamento atribuído pelo Ministério da Saúde, permitiu ao CHVNG/E construir, de raiz, uma unidade totalmente dedicada à fertilidade. Foi planeada uma área que contempla espaços dedicados às diferentes fases do processo de fertilização: colheita, fertilização, transferência. A unidade é composta por: sala de colheitas, sala polivalente, laboratório de Embriologia, laboratório Andrologia, laboratório de Criopreservação, bloco operatório, sala de recobro, sala de desinfecção, vestiários para utentes e profissionais e dois gabinetes.

Criada em 1991, por uma equipa liderada pela Dra. Ingeborg Chaves, a unidade é considerada uma das melhores do país, sendo a UMR do Serviço Nacional de Saúde que mais ciclos de tratamento realiza por ano. A equipa da unidade é composta por quatro ginecologistas, dois embriologistas, psicóloga, dietista e andrologista. Desde a sua abertura a unidade realizou perto de 3 mil ciclos de tratamento. No ano de 2008 realizaram-se mais de 300 ciclos, a taxa de gravidez foi de 43,3% e a taxa de gravidez gemelar situou-se nos 20%.

“A área Materno-Infantil é uma das áreas de referência do nosso Hospital, isto apesar da degradação física das actuais instalações, que só serão inteiramente colmatadas com a construção do novo hospital. A necessidade de adaptação da Unidade de Medicina da Reprodução permite-nos respeitar as obrigações legais e demonstra também a necessidade de prosseguirmos com alguns investimentos que permitam a manutenção do nível dos Serviços deste Hospital”, afirmou o Presidente do Conselho de Administração, João Ferreira, acrescentando, “os resultados que esta Unidade sempre apresentou, mesmo com as instalações a precisarem deste impulso mostram-nos, como em muitos outros Serviços de referência deste Hospital, que não são as instalações que fazem as boas práticas, mas sim as pessoas”.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s