Sociedade

“Mãos Limpas, Salvam Vidas”

Taxa de prevalência de infecções no Centro Hospitalar tem vindo a diminuir desde há três anos e, em 2007, foi uma das mais baixas do país

As bactérias transportadas pelas nossas mãos são responsáveis por diversas infecções que afectam o nosso organismo. O simples acto de as lavar impede que os germes possam actuar, minimizando os riscos de infecção. Num ambiente hospitalar, a lavagem das mãos assume um papel preponderante, tanto para profissionais como para utentes: os germes estão em toda a parte à espera de uma simples oportunidade…

A Comissão de Controlo de Infecção (CCI) desenvolve entre as 9h00 e as 17h00, de amanhã, 17 de Setembro, uma campanha que vai envolver profissionais e utentes do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, denominada “Mãos Limpas, Salvam Vidas”.

A acção de prevenção vai actuar em diversas frentes. Várias equipas, coordenadas pela CCI, vão sensibilizar e motivar para a prática da lavagem das mãos e alertar para os efeitos nocivos que podem advir de quando esta não é realizada correctamente.

As equipas vão estar em simultâneo a visitar os serviços, onde contactarão com os profissionais de saúde, e a sensibilizar utentes nas Consultas Externas e no exterior das instalações. Os objectivos são sensibilizar o pessoal hospitalar para a importância da prática e, por outro lado, esclarecer os visitantes sobre os perigos que representa a não lavagem das mãos, sobretudo, quando se deslocam ao hospital para contactar com doentes internados. Para tal, terão lugar exercícios de lavagem das mãos e respectivo teste que comprove os procedimentos adequados.

Ainda durante a manhã, a partir das 10h15, a CCI organiza, no salão nobre da Unidade I do CHVNG/E, a palestra “Importância da Higienização das Mãos”.

TAXA DE PREVALÊNCIA DE INFECÇÕES DIMINUIU

No CHVNG/E, a taxa de prevalência de infecções tem vindo a diminuir de ano para ano. Na sequência do Inquérito de Prevalência de Infecção, de 2007, foi registada a taxa de 8,29%, “uma das melhores taxas a nível nacional”, garante a coordenadora da campanha. Comparativamente com o ano de 2006, a taxa de prevalência diminuiu perto de 5%, uma tendência que se verifica desde 2005.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s